Metadados: um conceito indispensável para compreender modelos de uso e reaproveitamento da informação, além da onipresença de sistemas computacionais

Se o primeiro texto deste site era para ser um teste de recomendação simbólico, sobre como falar dos livros que não lemos, o segundo precisava ser algo descaradamente interesseiro.

Exatamente por isso recomendo o meu próprio livro. Rá!

Lembro bem quando este lugar era todo mato. Eu experimentei uma home page no Geocities, numa época em que a URL era similar a um endereço em Bel Air. Num segundo momento, usuários dispostos a compartilhar suas ideias na Web já não precisavam mais conhecer HTML e FTP para hospedar suas páginas. Bastam alguns cliques.

OLIVEIRA, André R. Jornalismo Estruturado por Metadados. Curitiba, PR: Editora Appris, 2019
ISBN: 9788547322755
ASIN: B07TKD831W
Compre o ebook Kindle na Amazon

O Jornalismo foi um dos pioneiros nesta colonização da Web, desde as primeiras reproduções dos textos impressos. Até chegarmos a uma incalculável sequência de experimentos e formatos: longform, stories, timeline, newsletter, listcles, chatbots

Estes nomes podem não fazer sentido algum dentro de poucos anos. Aliás, escrever sobre a relação entre Inovação, Tecnologia e qualquer área (como o Jornalismo) é um tremendo desafio: como fazer esta abordagem a longo prazo, sem se apresentar como algo datado?

As escolhas que resultaram em uma tese de doutorado (transformada em livro) partem da relação cada vez mais presente entre o Jornalismo e as Ciências da Computação e Informação, cuja preocupação em armazenar e recuperar informação em bases de dados é anterior a própria Internet.

De lá para cá, a discussão em torno de questões contemporâneas, como Inteligência Artificial, Visualização de Dados, entre outros sistemas, sempre passa por um mesmo conceito. Tratam-se dos metadados, um elemento quase inexistente nas primeiras páginas estáticas ou mesmo nos primórdios dos sistemas de gerenciamento de conteúdo.

Atualmente, são fundamentais para estruturar qualquer informação, inclusive jornalística, e dar sentido a novos estudos e projetos.

Visualize algumas páginas deste livro no Google Books

Por conta de uma decisão puramente acadêmica, optei por publicar o livro por uma editora que atenda a critérios da Capes (instituição ligada ao MEC que avalia o nível dos cursos e profissionais ligados à pós-graduação no Brasil). A Editora Appris, que fez um belo trabalho na aprovação dos títulos (por meio de seu Conselho Editorial), edição e publicação do livro, também distribui a publicação no formato digital.

Pessoalmente, entendo que as vantagens do ebook são imbatíveis. Enquanto escrevo estas linhas, o preço da versão para o Kindle é a metade do impresso (e o conteúdo é rigorosamente o mesmo). E por mais que a distribuição contemple boa parte das livrarias do Brasil, o fato de um potencial leitor chegar ao livro em um clique em qualquer lugar do planeta é sensacional.

“Mas André, quero seu livro autografado, com direito a um café para conversarmos sobre o futuro do Jornalismo”. Será um prazer! Mas você já pode se antecipar na tela do seu e-reader antes da versão em papel chegar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *